Gamificação: principais conceitos e aplicações

A indústria dos games é uma das mais rentáveis na atualidade, só no Brasil, no período de 4 anos esse segmento cresceu cerca de 160%, e você sem dúvidas já deve ter jogado algum game seja os clássicos do Mario no Nintendo e Sonic da Sega, e até mesmo lançamentos mais recentes como God Of War e The Last Of Us para o Playstation ou Gears Of War para o Xbox, e até mesmo jogos online no PC como League Of Legends e Counter Strike. 

Mas independente do console ou do estilo de jogo, todos os games tem um objetivo, e cada partida acaba sendo algo único, existindo uma missão clara que varia desde salvar uma princesa até derrotar Zeus, e é claro que devido a toda essa popularidade, a influência dos games transcendeu as telas, sendo usado como inspiração para a criação de novos segmentos, entre eles, um dos mais populares é justamente a gamificação. 

Aqui estamos falando de uma área do futuro, de acordo com o levantamento da Report Link, foram movimentados 7 bilhões de dólares nessa área no ano de 2019, e a tendência é que até 2024 os investimentos cheguem a 24 bilhões de dólares, muito dinheiro para ser colocado em um exaustor centrífugo, não acha?

Bom, mas qual o motivo dessa popularização? O que significa a gamificação e porque ela é tão popular na atualidade? No texto de hoje, iremos mostrar quais são seus principais conceitos e aplicações, bora conferir? Então vamos lá!

O que significa gamificação?

A gamificação, ou gamification em inglês, é um conceito extremamente novo e se baseia na aplicação das estratégias dos jogos dentro do nosso cotidiano, tendo como principal intuito, aumentar o engajamento entre o público e facilitar o monitoramento dos resultados das ações. 

Por esse motivo, essa é uma metodologia que vem sendo muito aplicada em empresas e até mesmo instituições de ensino, mesclando o meio corporativo até com elementos de design.

Ainda está meio perdido? Bom, pense o seguinte, todo jogo tem um objetivo independente qual for, então a gamificação procura utilizar alguns elementos estratégicos do mundo do game, trazendo para a vida real para que as pessoas superem obstáculos e “cumpram a sua missão”, entre eles, podemos destacar um sistema de pontuação e ranking ou algum tipo de recompensa e desafio para completar uma missão. 

Dessa forma, você consegue atrair e engajar as pessoas promovendo o aprendizado, motivando o comportamento e criando uma famosa sensação de recompensa, que só quem já passou horas tentando derrotar o chefão de um game conhece. 

Quais são seus principais conceitos?

E é claro que um termo tão complexo assim precisava ter vários conceitos amplos e completamente diferentes, para que as pessoas pensem além de sua caixa de papelão, entre os principais, podemos ressaltar o storytelling, que nada mais é do que a prática de desenvolver uma história ou narrativa, muito presente nos jogos principalmente single player. 

O avatar que nada mais é do que o personagem principal, geralmente, a pessoa alvo de toda a gamificação, que precisa se enquadrar com a narrativa e estar bem posicionado dentro do ambiente. 

Os desafios, afinal, quem não gosta de um? São eles que desafiam um participante a superar seus limites e os motivam a alcançar o final, passando cada fase e enfrentando cada chefe, porém é claro, selecionando o nível de acordo com a experiência de cada um. 

A recompensa que se trata do que acontece após concluir uma missão, o que você ganha, ou seja, os motivos de realizar tudo aquilo, e por fim, os pontos e rankings, que ajudam a destacar quem vai melhor e se destaca, premiando ainda mais, aqueles que se esforçam e trabalhando um pouco a competitividade. 

Quais são os benefícios da gamificação?

Acredite, não são poucos os benefícios da gamificação, com ela o primeiro ponto de destaque é o aumento da motivação dos seus funcionários, que se sentem desafiados e encaram aquilo como uma forma de melhorar a sua produtividade, ao mesmo tempo, também são desenvolvidas as suas habilidades subjetivas, que acabam melhorando conforme você for “passando de fase”.

Vale ressaltar que os processos ficam praticamente automatizados, o que como consequência, aumenta a fidelização dos clientes e o clima organizacional de forma geral, ajudando na redução de estresse, diminuindo a rotatividade da equipe, melhorando a comunicação interna, reduzindo custos e por fim, otimizando os treinamentos. 

Onde ela se aplica?

Se você se interessou pela gamificação saiba que ela pode ser aplicada em diferentes áreas da nossa vida assim como um oxigênio medicinal que atua em diferentes clínicas e hospitais. 

Podemos ressaltar a gamificação no treinamento corporativo, servindo como um desafio para os colaboradores e ajudando na sua melhora profissional, no onboarding, auxiliando a integrar novatos dentro de uma empresa e unir melhor a equipe.

Fora do âmbito profissional, a gamificação é aplicada na educação, trazendo aulas mais dinâmicas para a sala, aumentando a concentração e a diversão ao mesmo tempo que amplia o conhecimento. 

Ela também pode ser aplicada na área da saúde, fazendo com que o paciente tenha mais facilidade em seguir seu tratamento, e por fim, no engajamento social estimulando a sociedade de forma geral, de ser mais ativa em questões políticas e também sociais. 

O que achou do texto de hoje? Gostou das propostas da gamificação? Deixe sua opinião nos comentários abaixo e não se esqueça de compartilhar com seus amigos e familiares caso tenha gostado, até a próxima!

Este artigo foi escrito pela equipe do Soluções Industriais.

Não há quase nenhuma área em que a tecnologia digital não tenha impactado a minha vida.

Carlos Piva

Não há quase nenhuma área em que a tecnologia digital não tenha impactado a minha vida.