Como começar a trabalhar com importações?

Você já comprou algum produto importado? Comprar itens diretamente do exterior é uma prática comum aqui no Brasil, ainda mais devido aos valores que costumam ser bem mais em conta do que os vendidos nacionalmente, mesmo com uma possível taxação na alfândega, e as moedas estrangeiras passando da casa dos R$ 5,00, o comércio de importados ainda acaba compensando e sendo uma ótima opção. 

Basta ver, por exemplo, o sucesso e a explosão de plataformas como o Aliexpress, Shein e a Shoppe, que começaram a se popularizar ainda mais nos últimos anos devido a sua variedade de produtos que vêm de países como China, Taiwan entre outros. 

Assim como um balcão refrigerado inox que mantém a temperatura dos alimentos, as importações também são um termômetro, porém bem mais aquecido, para a economia nacional, sendo uma ótima opção para quem deseja vender produtos por preços mais acessíveis e de maneira mais direta. 

Porém, o mercado de importações é complexo e exige um certo conhecimento das regras e modalidades de importação, garantindo mais segurança e menos gastos com possíveis multas ou taxações. 

Se você pensa em começar a trabalhar com importações, nós vamos te ajudar! No texto de hoje, separamos algumas dicas que vão te auxiliar no começo de sua jornada importando produtos, bora conferir? Então vamos lá!

Faça a regularização e habilite seu negócio a trabalhar com o comércio exterior

O primeiro passo para começar a trabalhar com importações é regularizar o seu negócio e habilitá-lo para poder atuar nessa modalidade, isso significa ter o seu CNPJ ativo e totalmente regularizado, e incluir no objeto social da sua empresa toda e qualquer atividade referente à importação e exportação. 

Se você está abrindo um negócio voltado exclusivamente para esse segmento, importando produtos como válvula direcional ou hidráulica, já abra ele com essas duas ponderações. Após cuidar disso, você deve realizar uma solicitação para a Siscomex (Sistema Integrado de Comércio Exterior), responsável por todas as importações no Brasil, sendo através desse sistema que o governo controla e integra tudo relacionado à exportação. 

Conheça todas as modalidades da Siscomex

Acima citamos a Siscomex, certo? Esse é um sistema que toda e qualquer pessoa que deseja trabalhar com importação obrigatoriamente deve conhecer, para ter o acesso à exportação, é preciso realizar o cadastro no RADAR da Siscomex, sigla para Registro e Rastreamento da Atuação dos Intervenientes Aduaneiros, junto a receita federal. 

Para ter sucesso no seu cadastro é preciso indicar qual a modalidade que seu negócio se encaixa sendo elas:

  • RADAR Expresso: a mais simples de se obter, tem limite de exportação de até 50 mil dólares em um período de 6 meses. 
  • RADAR Limitado: operações com um valor um pouco mais elevado, de até 150 mil dólares, porém no mesmo período de 6 meses.
  • RADAR Ilimitado: a opção mais completa com importações financeiras acima de 150 mil dólares. 

Recomenda-se a contratação de um despachante aduaneiro registrado no Siscomex para te ajudar nessa primeira empreitada, ele vai trazer uma extrema facilidade na sua jornada. 

Faça a classificação fiscal correta de suas mercadorias

Depois da sua empresa estar habilitada no RADAR, e cumprir os pré-requisitos relacionados ao objeto social e CNPJ é o momento de realizar a classificação fiscal de suas mercadorias, para saber se elas possuem qualquer tipo de restrição na Anvisa, Ibama ou no Inmetro. 

Para isso, é recomendado utilizar o SH (Sistema Harmonizado), com ele você pode fazer a pesquisa de qualquer produto que possuem um código internacional único, ele é desenvolvido pela OMA (Organização Mundial das Alfândegas), todos os produtos são classificados e codificados, seguindo um padrão que é extremamente recomendado. 

Fique de olho nos tipos de licenciamento de importação

Outro ponto importante é ficar de olho nos tipos de licenciamento de importação, podendo esses serem iguais um conserto de bomba,  automáticos e não-automáticos, o primeiro é feito apenas para fins estatísticos sem grandes dificuldades de autorização, já o segundo deve ocorrer na hora do embarque da mercadoria do exterior. 

Ainda existem algumas siglas que você deve conhecer como os Incoterms (Termos Internacionais de Comércio), que nada mais são do que os responsáveis pelo transporte e por garantir a segurança da mercadoria até o local de despacho aqui no Brasil. 

Crie planilhas detalhadas e monte todo um planejamento com os produtos exportados

Após tantas questões burocráticas e fatores técnicos, é hora de atuar um pouco na prática, criando planilhas detalhadas e montando todo um planejamento relacionado a exportação de seus produtos, procurando sempre criar um cronograma e ter um controle tanto da sua solicitação quanto sobre suas vendas. 

Tudo precisa ser detalhado, com um ótimo planejamento desde o seu fornecedor que tem que ser de confiança, até todo o processo de despacho, lembre-se de ser cuidadoso e faça um bom proveito de todo processo de importação. 

O que achou do texto de hoje? Deixe sua opinião nos comentários abaixo e não se esqueça de compartilhar com seus amigos e familiares caso tenha gostado do conteúdo, até a próxima!

Esse artigo foi escrito por Iago Lourenço, criador de conteúdo do Soluções Industriais.

Não há quase nenhuma área em que a tecnologia digital não tenha impactado a minha vida.

Carlos Piva

Não há quase nenhuma área em que a tecnologia digital não tenha impactado a minha vida.