"É preciso uma aldeia inteira para educar uma criança"

Imagem principal: 
É preciso uma aldeia inteira para educar uma criança

 

Foi em uma manhã de sexta-feira que a melhor explicação sobre o que é um FabLab foi dada. E essa explicação veio em uma conversa entre dois garotos do 5º ano da EMEF Humberto de Campos:

- Ficou irado esse jogo! Mas e se os porquinhos sumirem?

- Ahhh, a gente vem e imprime outros!

 

Para você entender melhor o contexto, desde setembro o FabLab Livre SP do Centro Cultural da Penha está em parceria com a EMEF Humberto Campos para implementação de um projeto modelo que apoia e incentiva a produção de jogos educacionais concebidos por estudantes da rede pública.

“A escola deve ser construída por alunos, docentes, comunidade e especialistas, e cabe a ela relatar seus desejos e expectativas”, afirma a professora de informática Ana que, após um curso de introdução a fabricação digital feito no FabLab, procurou os coordenadores da unidade Penha, Tatiana e Estevão, para ajudar em uma grande ideia: produzir jogos educacionais feitos pelos próprios estudantes para trabalhar efetivamente com o desenvolvimento de competências, habilidade e atitudes, escolhidos de acordo com os objetivos didáticos.

 

 

A ideia inicial eram workshops pontuais, mas acabou virando uma grande parceria de longo prazo depois da resposta positiva dos alunos de 3º a 8º séries durante as fabricações e prototipagens. O conceito do laboratório de fabricação digital ficou tão claro, que o diálogo entre eles era “podemos fazer sempre que quisermos”.

 

 

Não é por menos que a aprendizagem maker tem sido bem difundida no meio educacional como ferramenta que desenvolve a criatividade, pensamento crítico e trabalho em equipe. Nesse tipo de aprendizagem, o aluno assume o papel de protagonista e constrói suas próprias invenções a partir do erro e reparos constantes. O papel do professor é importante em instigar e desafiar os alunos a buscarem soluções por conta própria, sendo o facilitador no processo.

 

 

Hoje nossa ambição é implementar o que deu certo em outras EMEFs, abrindo o FabLab Livre SP para além de atender a comunidade, ser um laboratório STEAM escolar ideal.