Programação

Prefeitura apresenta Fab Lab Livre SP na Campus Party Brasil 2016

Programa que leva laboratórios de tecnologia para a periferia é destaque em fórum do maior evento de tecnologia da América Latina

O programa Fab Lab Livre SP, que instalará laboratórios abertos de tecnologia na periferia, foi um dos destaques do Fórum Brasileiro de Cidades Inteligentes e Humanas, aberto nesta sexta-feira (29). O evento integra a Campus Party Brasil 2016, maior evento de tecnologia da América Latina. O prefeito Fernando Haddad apresentou nesta manhã o programa e respondeu perguntas dos campuseiros.

“Eu acredito que hoje São Paulo figura entre as cidades com maior conectividade pública do mundo. São basicamente três projetos que ajudam São Paulo a se posicionar desta forma: o primeiro é o Vai Tec, um edital anual para fomentar núcleos de desenvolvimento de TI, o segundo programa são as praças wifi, que já são 120, e o terceiro é o programa da maior rede municipal de produção digital do mundo, que são os Fab Labs”, afirmou o prefeito Haddad.

A primeira unidade da Rede Pública de Laboratórios de Fabricação Digital (Fab Lab Livre SP), funciona no Centro de Formação Cultural Cidade Tiradentes desde dezembro de 2015. O projeto tem o objetivo de oferecer aos estudantes da rede pública acesso a máquinas de produção digital para desenvolver protótipos de novos produtos. Até março de 2016, serão 12 laboratórios desses em operação na Capital.

Os laboratórios têm como objetivo estimular o empreendedorismo nas regiões periféricas, atendendo 1.500 pessoas por mês. “Queremos gerar novos negócios sobretudo na periferia, onde nem sempre o talento encontra oportunidades. O papel da Prefeitura é não desperdiçar estes talentos”, disse Haddad. Nos Fab Labs, os estudantes têm cursos de técnicas de fabricação digital e aprendem processos de produção para que possam, de forma colaborativa, criar protótipos de baixo custo para manufatura em larga escala.

“Estes laboratórios são talvez uma das melhores coisas feitas na história da cidade. Porque levam a tecnologia para as crianças da periferia de maneira lúdica, seja com um drone, com uma impressora 3D ou uma aula de robótica. Isso tira os jovens da rua, até do narcotráfico. É uma grande iniciativa”, avalia Francesco Farruggia, Presidente do Instituto Campus Party.

Os Fab Labs são espaços de produção colaborativa e aprendizado interdisciplinar. No local, os jovens terão acesso a impressoras 3D, cortadora laser, software de modelagem e animação para programação em computadores, fresadoras e equipamentos de eletrônica, entre outros recursos utilizados na cultura maker (ou “faça você mesmo”). Atualmente há mais três laboratórios em funcionamento na Galeria Olido, no Centro Cultural da Penha e na Casa da Memória de Itaquera.